O diálogo hermenêutico e a pergunta adequada à aplicação dos tratados internacionais de direitos humanos no Brasil: caminhos para o processo de internacionalização da constituição

Rafael Fonseca Ferreira, Celine Barreto Anadon

Resumo


O objetivo deste artigo consiste em recompor a paisagem entre o direito interno e o direito internacional a partir do fenômeno da constitucionalização do direito internacional proporcionado pela Constituição Federal de 1988 e a recepção dos tratados internacionais de direitos humanos. O trabalho é guiado por uma análise de caráter fenomenológico-hermenêutica, a partir do referencial teórico de Gadamer e a ideia de diálogo, estruturado sob a dinâmica da pergunta e da resposta. No início, elabora-se uma crítica dirigida à deficiência teórico-interpretativa do imaginário jurídico dominante que, tanto na doutrina como na jurisprudência do STF, consegue superar à lógica do discurso formal do status hierárquico-normativo (positivista) na aplicação dos tratados internacionais de direitos humanos no Brasil antes e depois da introdução do § 3º no art. 5º pela Emenda Constitucional nº 45/2004. Diante desse cenário, mais do que uma proposta de diálogos interjurisdicionais, com base na crítica hermenêutica do diálogo, objetiva-se mais profundamente demonstrar que existem outros caminhos para a normatividade dos tratados internacionais de direitos humanos os quais transcendem a simples redução da definição de sua posição hierárquica ou de uma comunicação entre cortes nacionais e internacionais. Por fim, sob a desconstrução do paradigma hierárquico-normativista de caráter positivista, busca-se demonstrar a adequada compreensão (teórico-normativa) e dialógica entre Constituição e tratados internacionais de direitos humanos como novos horizontes da normatividade constitucional e do processo de internacionalização do Direito.

Palavras-chave


Diálogo hermenêutico; Constituição; Tratados internacionais de direitos humanos, Internacionalização do Direito.

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Supremo Tribunal Federal. Ação Direta de Inconstitucionalidade. ADI MC nº 1480 DF. Tribunal Pleno. Requerente: Confederação Nacional do Tran¬sporte; Confederação Nacional da Indústria. Requerido: Presidente da Republica; Congresso Nacional. Relator: Min. Celso de Melo. Brasília, 04 de setembro de 1997. Disponível em: . Acesso em: 09 set. 2016.

BRASIL. Supremo Tribunal Federal. Habeas Corpus. HC nº 72131 RJ. Tribunal Pleno. Paciente: Lairton Al¬magro Vitoriano da Cunha. Coator: Tribunal de Ju¬stiça do Estado do Rio de Janeiro. Relator: Min. Marco Aurélio. Brasília, 23 de novembro de 1995. Disponível em: . Acesso em: 11 out. 2015.

BRASIL. Supremo Tribunal Federal. Habeas Corpus. HC nº 77527 MG. Tribunal Pleno. Paciente: João Cor¬doval de Barros. Coator: Tribunal de Alçada do Estado de Minas Gerais. Relator: Min. Marco Aurélio. Brasília, 23 de setembro de 1998. Disponível em: . Acesso em: 09 set. 2016.

BRASIL. Supremo Tribunal Federal. Recurso Extraor¬dinário. RE nº 206482 SP. Tribunal Pleno. Recorrente: Ministério Público Federal. Recorrido: Pedro Luiz de Oliveira. Relator: Min. Maurício Corrêa. Brasília, 27 de maio de 1998. Disponível em: . Acesso em: 09 set. 2016.

BRASIL. Supremo Tribunal Federal. Recurso Extraor¬dinário. RE nº 466343. Tribunal Pleno. Recorrente: Ban¬co Bradesco S/A. Recorrido: Luciano Cardoso Santos. Relator: Min. Cezar Peluso. Brasília, 03 de dezembro de 2008. Disponível em: . Acesso em: 11 out. 2015.

BRASIL. Supremo Tribunal Federal. Recurso Extra¬ordinário. RE nº 80004 SE. Tribunal Pleno. Recor¬rente: Belmiro da Silveira Goes. Recorrido: Sebastião Leão Trindade. Relator: Min. Xavier de Albuquerque. Brasília, 1 de junho de 1977. Disponível em: . Acesso em: 11 out. 2015.

BRASIL. Supremo Tribunal Federal. Recurso Ordinário em Habeas Corpus. RHC nº 79785 RJ. Tribunal Pleno. Recorrente: Jorgina Maria de Freitas Fernandes. Recor¬rido: Ministério Público Federal. Relator: Min. Sepúlve¬da Pertence. Brasília, 29 de março de 2000. Disponível em: . Acesso em: 11 out. 2015.

BRASIL. Supremo Tribunal Federal. Recurso Ordinário em Habeas Corpus. RHC nº 81.319/GO. Tribunal Ple¬no. Recorrente: Nilo Lottici Júnior. Recorrido: Rela¬tor do RE nº 299401. Relator: Min. Celso De Mello. Brasília, 24 de abril de 2002. Disponível em: . Acesso em: 09 set. 2016.

BURGORGUE-LARSEN, Laurence. De l’internatio¬nalisation du dialogue des juges: Missive doctrinale à l’attention de Bruno Genevois. In: BADINTER, Ro¬bert et al. Le dialogue des juges: mélanges en l’honneur du président Bruno Genevois. Paris: Dalloz, 2009. p. 95-130. Disponível em: . Acesso em: 17 out. 2015.

BUSTOS GISBERT, Rafael. Diálogos jurisdicciona¬les en escenarios de pluralismo constitucional: la pro¬tección supranacional de los derechos en Europa. In: MAC-GREGOR, Eduardo Ferrer; LELO DE LAR¬REA, Arturo Zaldívar (Coord.). La ciencia del derecho pro¬cesal constitucional: estudios en homenaje a Héctor Fix- Zamudio en sus cincuenta años como investigador del derecho. México: UNAM, 2008. (Derechos humanos y 191 tribunales internacionales, 9). p. 753-775.

BUSTOS GISBERT, Rafael. Pluralismo constitucional y diálogos jurisprudenciales. México: Porrúa, 2012.

CANÇADO TRINDADE, Antônio Augusto. De¬safios e conquistas do direito internacional dos direitos hu¬manos no início do século XXI. 410-411. Disponível em: . Acesso em: 17 out. 2015.

CANOTILHO, J. J. Gomes. “Brancosos” e a interconstitu¬cionalidade: itinerários dos discursos sobre a historicidade constitucional. 2. ed. Lisboa: Almedina, 2008.

COMPARATO, Fábio Konder. A afirmação histórica dos direitos humanos. 5. ed. São Paulo: Saraiva, 2007.

DELMAS-MARTY, Mireille. Les forces imaginantes du droit: la refondation des pouvoirs. Paris: Seuil, 2007. v. 3.

DELMAS-MARTY, Mireille. Les forces imaginantes du droit: le pluralisme ordonné. Paris: Seuil, 2006. v. 2.

DELMAS-MARTY, Mireille. Les forces imaginantes du droit: le relatif et l’universel. Paris: Seuil, 2004. v. 1.

DELMAS-MARTY, Mireille. Por um direito comum. Trad. Maria Ermantina de Almeida Prado Galvão. São Paulo: M. Fontes, 2004.

DELMAS-MARTY, Mireille. Três desafios para um direito mundial. Trad.

Fauzi Hassan Choukr. Rio de Janeiro: Lu¬men Júris, 2003.

DWORKIN, Ronald. O império do direito. Trad. Jefferson Luiz Camargo. 2. ed. São Paulo: M. Fontes, 2007.

FERREIRA, Rafael Fonseca. Diálogos hermenêuticos em di¬reitos humanos: em busca da(s) pergunta(s) adequadas(s) para a aplicação dos tratados internacionais de direitos humanos no Brasil. Disponível em: . Acesso em: 15 out. 2015.

FERREIRA, Rafael Fonseca; LIMBERGER, Temis. O diálogo hermenêutico como horizonte de uma nova paisagem no Direito: crítica à racionalidade autoritária dispensada aos tratados de direitos humanos no Brasil. In: SOUZA SILVA, Karine de; ARARUNA SANTIA¬GO, Nestor Eduardo (Org.). Direito constitucional, direitos humanos e direito internacional. Barcelona: Laborum, 2015. p. 155-176.

GADAMER, Hans-Georg. O problema da consciência hi¬stórica. Tradução Paulo César Duque Estrada. 2. ed. Rio de Janeiro: FGV, 2003.

GADAMER, Hans-Georg. Verdade e método I: traços fundamentais de uma hermenêutica filosófica. 12. ed. Trad. Flávio Paulo Meurer. Petrópolis: Vozes, 2012.

GALÁN, Pedro Cerezo. Reivindicación del diálogo. Madri: Real Academia de Ciencias Morales y Políticas, 1997.

GARCÍA ROCA, Javier. El diálogo entre el Tribunal Europeo de Derechos Humanos y los tribunales con-stitucionales en la construcción de un orden público europeo. Teoría y Realidade Constitucional, Madrid, n. 30, p. 183-224, 2012.

GARCÍA ROCA, Javier; NOGUEIRA ALCALÁ, Humberto; BUSTOS GISBERT, Rafael. La comunicación entre ambos sistemas y las características del diálogo. In: ______ et al. (Org.). El diálogo entre los sistemas europeo y americano de derechos humanos. Madrid: Civitas, 2012. p. 66-107.

HÄBERLE, Peter. Pluralismo y constituición: estúdios de teoria constitucional de la sociedad aberta. Madrid: Tec¬nos, 2002.

HITTERS, Juan Carlos. Control de constitucionalidad y control de convencionalidad: comparación: criterios fijados por la Corte Interamericana de Derechos Huma¬nos. Estudios Constitucionales, v. 7, n. 2, p. 109-128, 2009.

KELSEN, Hans. Teoria geral do direito e do Estado. Trad. Luís Carlos Borges. 4. ed. São Paulo: M. Fontes, 2005.

KELSEN, Hans. Teoria pura do direito. Trad. João Bapti¬sta Machado. 8. ed. São Paulo: M. Fontes, 2009.

LAFER, Celso. A internacionalização dos direitos humanos: constituição, racismo e relações. Barueri: Manole, 2005.

LOSANO, Mario G. Sistema e estrutura no direito: o século XX. Trad. Luca Lamberti. São Paulo: M. Fontes, 2010. v. 2.

MAZZUOLI, Valério. Curso de direito internacional público. 3. ed. São Paulo: RT, 2009.

MAZZUOLI, Valério. O controle jurisdicional da convencio¬nalidade das leis. 2. ed. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2011. (Direito e Ciências afins, v. 4).

MELGARÉ, Plínio. Direitos humanos: uma perspectiva contemporânea: para além dos reducionismos tradicionais. Revista de Informação Legislativa, Brasília, v. 39, n. 154, p. 71-92, abr./jun. 2002.192

MORAIS, José Luis Bolzan de; VIEIRA, Gustavo Oliveira. Estado e constituição em tempos de abertura: a crise conceitual e a transição paradigmática num ambiente intercultural. Revista de Estudos Constitucionais, Hermenêutica e Teoria do Direito, v. 5, n. 2, p. 133-140, jul./ dez. 2013.

NEVES, Marcelo. Transconstitucionalismo. São Paulo: M. Fontes, 2009.

NOGUEIRA ALCALÁ, Humberto. Diálogo interjuri¬sdiccional, control de convencionalidad y jurispruden¬cia del Tribunal Constitucional en período 2006-2011. Estudios Constitucionales, Santiago, v. 10, n. 2, p. 57-140, 2012.

PÉREZ LUÑO, Antonio Enrique. Derechos humanos, estado de derecho y constituición. 10. ed. Madrid: Tecnos, 2010.

PÉREZ LUÑO, Antonio Enrique. El desbordamiento de las fuentes del derecho. Madrid: La Ley, 2011.

PIOVESAN, Flávia. Direitos humanos e o direito constitucio¬nal internacional. 13. ed. São Paulo: Saraiva, 2102.

RUBIO LLORENTE, Francisco. La forma del poder: estudios sobre la constituición. Madrid: Centro de Estu¬dios Constitucionales, 1997.

SALDANHA, Jânia Maria Lopes. Novas geometrias e novos sentidos: internacionalização do Direito e inter-nacionalização do diálogo dos sistemas de justiça. In: STRECK, Lenio Luiz; ROCHA, Leonel Severo; EN-GELMANN, Wilson. Constituição, sistemas sociais e her¬menêutica. São Leopoldo: UNISINOS, 2012. (Anuário do Programa de Pós-Graduação em Direito da UNISI¬NOS: Mestrado e Doutorado, 9). p. 137-160.

STRECK, Lenio Luiz. Reflexões hermenêuticas acerca do papel (dirigente) da Constituição do Brasil e os (velhos) obstáculos à concretização dos direitos fundamen¬tais/sociais. In. CLÈVE, Clèmerson Merlin; SARLET, Ingo Wolfgang; PAGLIARINI, Alexandre Coutinho (Coord.). Direitos humanos e democracia. Rio de Janeiro: Forense, 2007. p. 385-405.

VERGOTTINI, Giuseppe De. Más allá del diálogo entre tribunales. Madrid: Civitas, 2010.




DOI: http://dx.doi.org/10.5102/rdi.v12i2.3655

ISSN 2236-997X (impresso) - ISSN 2237-1036 (on-line)

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia