O Processo e o Direito Coletivo no Sistema Interamericano de Direitos Humanos: uma Análise com Base na Jurisprudência Internacional

Laercio Dias Franco Neto, Dafne Fernandez de Bastos

Resumo


O presente artigo visa apresentar como a CorteInteramericana de Direitos Humanos compreende o direito e o processo coletivoem sua jurisdição, em virtude da falta de instrumentos jurídicos taxativos noque concernem esses direito, e ao mesmo tempo, a obrigação de dar solução aoscasos concretos à luz de uma maior proteção dos direitos humanos.

Texto completo:

PDF

Referências


BASTOS, Dafne Fernandez de. A aplicabilidade imediata

dos direitos sociais prestacionais: análise da

norma do artigo 5º, §1º da constituição federal de

Trabalho de conclusão de curso – Pós Graduação

(manuscrito).

BASTOS, Elísio Augusto Velloso. Algumas reflexões

sobre os Direitos Humanos e suas gerações. Revista

dos tribunais, ano 100, vol. 908, p. 174-201, junho

BENTHAM, Jeremy. “An Introduction to the Principles

of Morals and Legislation”. Clarendon Press,

Oxford, 1996.

BOBBIO, Norberto. A era dos direitos. Trad. Carlos

Nelson Coutinho; apres. Celso Lafer. Rio de Janeiro: Elsevier,

– 10ª reimp.

CHIRIBOGA, O. C. O Direito à Identidade Cultural

dos Povos Indígenas e das Minorias Nacionais: um

olhar a partir do Sistema Interamericano. SUR –

Revista Internacional de Direitos Humanos. nº 5, ano

, 2006.

COMISSÃO INTERAMERICANA DE DIREITOS

HUMANOS. El acesso a la justicia como garantia

de los derechos económicos, sociales y culturales.

Estudio de los estándares fijados por el sistema interamericano

de derechos humanos. OAS Doc. OEA/

Ser.L/V/ll.129, Doc. 4, 07 de setembro de 2007.

____________________. Informe n° 40/04, Caso

053, Comunidades Indígenas Mayas del Distrito

de Toledo, Belize, 12 de outubro de 2004.

CONVENÇÃO AMERICANA SOBRE DIREITOS

HUMANOS. Conferência

Especializada Interamericana sobre Direitos Humanos.

São José da Costa Rica, 1969.

CORTE INTERAMERICANA DE DIREITOS HUMANOS.

Caso Comunidade IndígenaYakye Axa vs.

Paraguai. Sentença de mérito, de 17 de junho de

Série C, nº 125.

____________________. Caso Massacres de Ituango

v. Colômbia. Sentença de mérito 01 de julho de

Série C, n° 148.

____________________. Caso Comunidade Mayagna

(Sumo) Awas Tingni vs. Nicarágua Sentença

de mérito, reparações e custas, de 31 de agosto de

Série C, nº 79.

____________________. Caso Povo Saramaka vs.

Suriname. Sentença de mérito, de 28 de novembro

de 2007. Série C, nº 172.

____________________. Regulamento da Corte

Interamericana de Direitos Humanos. Aprovado

em novembro de 2009.

COURTIS, Cristian; ABRAMOVICH, Victor. Los derechos

sociales como derechos exigibles. 2a ed. Madrid:

Editorial Trotta S.A., 2002.

DONNELLY, Jack. Universal human rights in theory and

practice. 2.ed. Londres: Cornell University, 2003.

ESCOLA SUPERIOR DO MINISTÉRIO PÚBLICO

DA UNIÃO. Manual prático de direitos humanos

internacionais. Coord. Sven Peterke; Colab. André Ramos

de Carvalho et al. Brasília: ESMPU, 2009.

FLORES, Joaquín Herrera. A reinvenção dos direitos

humanos. Trad. Carlos Roberto Diogo Garcia;

Antônio Henrique Graciano Suxberger; Jefferson Aparecido

Dias. Florianópolis: Fundação Boiteux, 2009.

GEERTZ, Clifford. “O saber local: fatos e leis em uma

perspectiva comparativa” In O saber local: novos ensaios

de Antropologia interpretativa. Rio de Janeiro, Vozes,

: 249-356.

HANASHIRO, Olaya Sílvia Machado Portella. O Sistema

Interamericano de Proteção aos. Direitos Humanos. São Paulo:

Edusp, 2001.

KILLANDER, Magnus. Interpretação dos tratados regionais

de direitos humanos. SURRevista Internacional

de Direitos Humanos, São Paulo, v. 7, n. 13, dez/2010.

NEVES, Daniel Amorim Assumpção. Manual de processo

coletivo – volume único. Rio de Janeiro: Editora

Método, 2012.

PEREIRA, Lafayete Rodrigues. Princípios do Direito

Internacional. J.R. dos Santos, Rio de Janeiro, 1902.

PIOVESAN, Flávia. Direito Internacional dos direitos

humanos e o direito brasileiro: hierarquia dos tratados

de direitos humanos à luz da constituição brasileira.

Leituras complementares de constitucional: direitos

humanos e direitos fundamentais. (org,) Marcelo

Novelino. 4ª ed. amp. rev. e atual. Salvador: Editora

Juspodivm, 2010. p. 43-69.

PORTELA, Paulo Henrique Gonçalves. Direito internacional

público e privado. 4ª ed., rev., amp. e atual.

Salvador: Editora Juspodivm, 2012. Leituras complementares

de constitucional: direitos humanos e direitos

fundamentais. (org,) Marcelo Novelino. 4ª ed.

amp. rev. e atual. Salvador: Editora Juspodivm, 2010.

p. 71-96.

RODRIGUES-PINZON, Diego; MARTIN, Claudia.

La prohibición de la tortura y los malos tratos en el sistema

interamericano: manual para víctimas y sus defensores.

Genebra: Organização Mundial contra a tortura,

SARLET, Ingo Wolfgang. Algumas notas sobre os direitos

fundamentais e os tratados internacionais em

matéria de direitos humanos.

SEN, Amartya. Desenvolvimento como liberdade.

Trad. Laura Teixeira Motta; rev. téc. Ricardo Doninnelli

Mendes. São Paulo: Companhia das Letras, 2010.

SUR. Revista Internacional de Direitos Humanos –

Rede universitária de Direitos Humanos. V. 1, n. 1, jan.

São Paulo, 2004.




DOI: http://dx.doi.org/10.5102/rdi.v10i2.2719

ISSN 2236-997X (impresso) - ISSN 2237-1036 (on-line)

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia