De frente para o crime: a política externa brasileira diante dos crimes contra a humanidade no Pós-Guerra Fria: da intervenção humanitária à ampliação do Conselho de Segurança - doi:10.5102/uri.v6i2.823

Wellington Pereira Carneiro

Resumo


O presente artigo descreve e analiza as posições da diplomacia brasileira
frente às grandes tragédias humanitárias que afetaram o mundo no pós guerra fria.
Neste sentido se concentra no conteúdo das partipações brasileiras no Conselho de
Segurança das Nações Unidas durante este período historico que presenciou grandes
desafios para o sistema de segurança como as crises da Iugoslavia, Timor Leste,
Kosovo e mais recentemente a ousada decisão sobre Darfur en 2005. Sem pretender
una análise completa uma vez que se trata de problemas ainda em pleno debate
na arena internacional o artigo dita algumas pautas para futura acompanhamento
analitico. Conclui-se que o Brasil vem avançando em relação a uma politica para
o sistema de segurança em geral mas lhe falta uma resposta aos graves conflitos
étnico-politicos que proliferaram no pós guerra fria, que de resto a comunidade
interancional como um todo não dispõe.

Texto completo:

Texto Completo


DOI: http://dx.doi.org/10.5102/uri.v6i2.823

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 1807-2135 (impresso) - ISSN 1982-0720 (on-line) - e-mail: universitas.rel@uniceub.br

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia