O mundo fora do armário: teoria queer e Relações Internacionais 10.5102/uri.v12i1.2738

Diego Santos Vieira de Jesus

Resumo


O objetivo é examinar as principais contribuições da teoria queer à área de Relações Internacionais. O argumento central aponta que a teoria queer permite observar que 1) Estados e nações são construções históricas que regulam as atividades sexuais a fim de garantir a sua reprodução biológica e social; 2) a (in)visibilidade de certos corpos em estratégias de segurança é uma forma de violência discursiva que tem a função de reforçar as ortodoxias e as hierarquias de gênero, sexo e sexualidade; 3) a globalização permitiu o surgimento de “sexualidades fluidas” apolíticas, marcando a comoditização do corpo e da identidade no nível internacional e a domesticação da sexualidade sob a lógica do consumo; 4) a sexualidade está na interseção com a etnicidade e outras categorias, desempenhando um papel constitutivo de hierarquias nos processos de militarização, nacionalização e redefinição de identidades estatais no nível internacional.

Palavras-chave


Teoria queer; Relações Internacionais; sexualidade; política internacional

Texto completo:

Texto Completo


DOI: http://dx.doi.org/10.5102/uri.v12i1.2738

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 1807-2135 (impresso) - ISSN 1982-0720 (on-line) - e-mail: universitas.rel@uniceub.br

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia